Adolpho Meirelles – 21.08.2019

Definição de simulação de circulação de pedestres da área externa de um projeto para criar padrão para pavimento sugerindo os principais fluxos do empreendimento, guiando os usuários subjetivamente. Para isso, foram utilizados Rhino+Grasshopper e o plugin Pedsim, disponível em www.food4rhino.com/app/pedsim. 

Preparação

A simulação paramétrica de fluxos necessita de alguns inputs “manuais” do projeto e preparação de arquivo. Para isso, primeiro se deve abrir ou importar um desenho da planta (ex. .dwg), e definir:

  • Obstáculos, que devem sempre ser polylines fechadas. Ou seja, se por exemplo o interior de um edifício deve ser considerado, a polyline começar pelo lado externo, “dar a volta” por dentro e fechar pelo lado de fora. Quanto mais simples e com menos ângulos e segmentos melhor (convém simplificar o modelo). Para evitar erros, desenhe no Rhino em top view e dê “close” no final do comando polyline ou “closecrv” para fechar polylines abertas.
  • Gates, que são para a simulação as origens e fins das pessoas nos fluxos. Ou seja, de onde aparecem e para onde vão e desaparecem as pessoas/agentes na simulação. São definidos como pontos.
  • Targets, que são pontos de interesse que atraem as pessoas na simulação, no meio do trajeto delas entre gates de origem/destino.


Esses objetos serão selecionados no script de Grasshopper para definir inputs principais do motor do Pedsim:

  • Programs, que são as definições de fluxos possíveis, com ou sem pontos de interesse, e devem ser nomeados e conectados a componentes “target”. Esses componentes são coletados em uma lista por um Merge e conectados aos Person Templates.
  • Person Templates, que definem na prática os fluxos entre um gate de origem e um gate de destino, com ou sem paradas em pontos de interesse (Targets). Devem ser criados templates com e sem programs contendo targets intermediários, atribuindo-lhes uma probabilidade (slider de 0.1 a 1.0) de acordo com a importância do fluxo.


Todos os Person Templates e Programs devem ser agrupados em duas listas distintas por componentes Merge e conectados ao “motor” da simulação, o componente PedSimulationSystem.

Visualização

A simulação gerada pode ser visualizada em 2D ou 3D tempo real, ou gerar um mapa de calor pelo tempo de permanência e número de pessoas presentes em cada local do plano.

Para o piso da Eurofarma, os fluxos principais gerados em 2D foram transformados em algumas opções de curvas no Rhino, que geraram imagens similares campos de vetores, que posteriormente foram fragmentados e tratados com outro script, atingindo o resultado desejado.

No fim, o padrão obtido foi utilizado na nossa proposta de paisagismo do Eurofarma (resultado na primeira página). O mapa de calor, que mostrava as regiões com maiores e menores fluxos de pessoas, serviu para definir e separar áreas cercadas com vegetação de espaços abertos. Mais tarde, a simulação foi redesenhada e rodada com maior refinamento no software MassMotion, desenvolvido pelo braço de software da Arup.

21 Aug
Rodando uma Simulação Paramétrica de Pedestres no Grasshopper com Pedsim


Adolpho Meirelles – 21.08.2019

Definição de simulação de circulação de pedestres da área externa de um projeto para criar padrão para pavimento sugerindo os principais fluxos do empreendimento, guiando os usuários subjetivamente. Para isso, foram utilizados Rhino+Grasshopper e o plugin Pedsim, disponível em www.food4rhino.com/app/pedsim. 

Preparação

A simulação paramétrica de fluxos necessita de alguns inputs “manuais” do projeto e preparação de arquivo. Para isso, primeiro se deve abrir ou importar um desenho da planta (ex. .dwg), e definir:

  • Obstáculos, que devem sempre ser polylines fechadas. Ou seja, se por exemplo o interior de um edifício deve ser considerado, a polyline começar pelo lado externo, “dar a volta” por dentro e fechar pelo lado de fora. Quanto mais simples e com menos ângulos e segmentos melhor (convém simplificar o modelo). Para evitar erros, desenhe no Rhino em top view e dê “close” no final do comando polyline ou “closecrv” para fechar polylines abertas.
  • Gates, que são para a simulação as origens e fins das pessoas nos fluxos. Ou seja, de onde aparecem e para onde vão e desaparecem as pessoas/agentes na simulação. São definidos como pontos.
  • Targets, que são pontos de interesse que atraem as pessoas na simulação, no meio do trajeto delas entre gates de origem/destino.


Esses objetos serão selecionados no script de Grasshopper para definir inputs principais do motor do Pedsim:

  • Programs, que são as definições de fluxos possíveis, com ou sem pontos de interesse, e devem ser nomeados e conectados a componentes “target”. Esses componentes são coletados em uma lista por um Merge e conectados aos Person Templates.
  • Person Templates, que definem na prática os fluxos entre um gate de origem e um gate de destino, com ou sem paradas em pontos de interesse (Targets). Devem ser criados templates com e sem programs contendo targets intermediários, atribuindo-lhes uma probabilidade (slider de 0.1 a 1.0) de acordo com a importância do fluxo.


Todos os Person Templates e Programs devem ser agrupados em duas listas distintas por componentes Merge e conectados ao “motor” da simulação, o componente PedSimulationSystem.

Visualização

A simulação gerada pode ser visualizada em 2D ou 3D tempo real, ou gerar um mapa de calor pelo tempo de permanência e número de pessoas presentes em cada local do plano.

Para o piso da Eurofarma, os fluxos principais gerados em 2D foram transformados em algumas opções de curvas no Rhino, que geraram imagens similares campos de vetores, que posteriormente foram fragmentados e tratados com outro script, atingindo o resultado desejado.

No fim, o padrão obtido foi utilizado na nossa proposta de paisagismo do Eurofarma (resultado na primeira página). O mapa de calor, que mostrava as regiões com maiores e menores fluxos de pessoas, serviu para definir e separar áreas cercadas com vegetação de espaços abertos. Mais tarde, a simulação foi redesenhada e rodada com maior refinamento no software MassMotion, desenvolvido pelo braço de software da Arup.





SHARE